NEWSLETTER

FACEBOOK

Inquietude

Pensar em Envelhecer assusta-me…

Temo que a minha voz se cale;

Que a minha liberdade fique condicionada à vontade de outros, aqueles que estando próximos podem estar tão distantes…  Aqueles que decidem por mim, sem perguntar… Aqueles que fogem com o olhar quando suplico atenção e afeto…

Temo que as sementes que lancei não sejam colhidas e que tenham envelhecido comigo,

Temo a dor, o sofrimento,

Temo o silêncio, a solidão e a ingratidão,

Temo uma casa vazia, um telefone avariado, um prédio sem ninguém, uma longa noite de insónias…

Temo não ter ninguém por perto para dizer bom dia, como estás, o que queres, o que sentes, o que…

Mas tenho esperança que todos estes anseios e medos não passem disso mesmo, porque:

Quem semeia colhe,

Quem acredita vê,

Quem procura a felicidade é feliz,

Quem respeita é respeitado,

Quem ama é amado,

Quem tem esperança é recompensado,

E quem envelhece, envelhece bem…

Os medos fazem só parte do meu imaginário,

Pois viver o presente é envelhecer e nada temer!

Elsa Maria

Assistente Social

 

Ilustração de Liekeland
ANTERIOR

A espuma dos dias

PRÓXIMO

taxi driver